segunda-feira, dezembro 24, 2007

L.O.V.E

PROZAC PODCAST 22/12/2007 (ZShare)

- Pode aparecer publicidade quando se abre o ZShare, basta clicar em "skip this ad" para fazê- la desaparecer:)

JP

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Rock Bottom

PROZAC PODCAST 16/12/2007 (ZShare)

YOUNG KNIVES- THE YOUNG KNIVES... ARE DEAD... AND SOME (Shifty Disco, 2007)
EP de 2001 dos Young Knives, com adição de álguns temas bónus e um video (...and some;). Força em estado bruto, posteriormente polida em "voices of animals and men" por Andy Gill- que lhes valeu o Mercury Prize!
Contudo aqui sentimo- nos mais em casa, porque bate directo na cabeça!

TOKYO POLICE CLUB- A LESSON IN CRIME/ SMITH- EPs (Paper Bag, 2006/ 2007)
Banda de Toronto, que mais parece ser de New York! As semelhanças com os Strokes, são demasiado evidentes, mas se nos dermos a oportunidade de os ouvir 2ª vez, ficamos rendidos. Há aqui a mesma energia dos Young Knives, a energia de quem quer ser grande e dá tudo, não tem pressão, são eles e o seu mundo. Curiosamente, a voltagem desce no EP Smith (posterior). Esperemos que não seja um mau presságio:/

HARRISONS- NO FIGHTING IN THE WAR ROOM (Melodic, 2007)
Monday`s arms, Man of the Hour e Blue note, são álguns exemplos de grandes temas desta banda de Shefield. Na sequência do que tenho dito, adorei os primeiros singles da banda. Em álbum soa tudo mais bonitinho, neste caso particular, isso é menos bom:)



Relaxing theme:
Andrew Bird- imitosis (Four Tet rmx) (ZShare)

JP

sábado, dezembro 08, 2007

Night Drive...

PROZAC PODCAST 08/12/2007(ZShare)

CHROMATICS- NIGHT DRIVE (Italians Do It Better; 2007)
A melhor definição que encontrei deste álbum foi: "EuroDisco narcótico"! Sim, é mesmo isso. Há sintetizadores negros, a voz sensual. O negrume e a decadência não nos largam 1 segundo. É isto que os torna tão viciantes- pensar que podemos guiar à noite no nosso submundo, ver a decadência em nós e mesmo assim estarmos confortáveis...
Há ainda uma cover de "Running Up That Hill" de Kate Bush- arrepepiante!

ROGUE WAVE- ASLEEP AT HEAVEN`S GATE (Brushfire; 2007)
É já o 3º álbum dos Rogue Wave. Como banda conseguimos perceber uma diferenciação na estrutura das canções, vão ficando mais longas e mais atentas aos pormenores, encontramos semelhanças com os Built to Spill, mas não nos esquecemos dos Shins! A capacidade de nos pôr atentos, bem dispostos e a cantarolar mantém- se, isso é o mais importante.

NIGHT OF THE BRAIN- WEAR THIS WORLD OUT (Station 55; 2007)
O chileno Christian Vogel não gosta de estar parado, com inúmeros singles a solo e colaborações, habituámo- nos a ouvi- lo compactado em tecno espacial para dançar a olhar para o chão. Mas o homem não tem só uma mente, tem muitas...
Baixo, guitarra, voz e bateria- estrutura básica rock e aquela que Christian escolheu para a noite do cérebro, Barcelona o local de inspiração.
Semelhanças com o unverso indie do início da década de 90 são imensas, contudo em "Connecting Changes" o groove aparece. Afinal tecno e rock sempre estiveram conectados!

Me gusta mucho:
Tokyo Police Club- Be Good (RAC rmx) ZShare

JP

sábado, dezembro 01, 2007

Prozac Podcast

No início, há 1 minuto de publicidade ao intermarché:)- a evitar!
PROZAC PODCAST 1/12/2007 (ZShare)

AVEY TARE & KRIA BREKKAN- PULHAIR RUBEYE (Paw tracks, 2007)
Ele é membro dos grandes Animal Collective, ela era dos Múm, são casados e fizeram um disco de amor lá por casa... Depois para confundir toda a gente puseram o álbum a tocar em reverse e editaram- no nesta forma:/ Claro que a malta achou aquilo muito estranho, demasiado drone? Podia esperar- se isso sim, mas um álbum inteiro, sem pop? Uma alma pop não consegue fugir dela durante muito tempo! Aí álguem se lembrou de pôr o álbum novamente em reverse e zás! Eis um dos mais belos álbuns folk- pop- pastoral:) de 2007. Veja- se que música acústica virada ao contrário dá música electónica- iluminados!

RADIOHEAD- IN RAINBOWS (Self- Released, 2007)
Hoje em dia quem tem meios para gravar um álbum, não precisa de editoras para nada, basta pô- lo na net e deixar os donativos ao critério/bolso de cada um. Neste caso a maioria das pessoas optou por fazer download e não pagar nada por isso, talvez porque seja um hábito demasiado enraizado na maioria de nós e ficamos miopes para atitudes destas.
Durante anos a fio os Radiohead foram quase forçados a inovar- pelos fãs, crítica (que acreditavam serem eles os salvadores da música) e por eles mesmos (que assumiram as crenças dos outros, embora em negação). Foram precisos 4 anos de meditação e refúgio, para sentir que a inovação está na cabeça/rádio de cada um!
Este álbum tem melodias de cortar a respiração, riffs cristalinos e suspense.
A música não se salva- existe! Nesta forma dá também sentido à nossa existência.
Tão grande quanto isso.

Plenty of music up there,
JP

domingo, novembro 25, 2007

Precious Thing...

ROBERT WYATT- CORNICOPERA (Domino, 2007)
Homem que vive isolado, com a esposa, passando o dia a ler, compor e ouvir música! Conseguimos perceber de onde vem a sua felicidade, quando sabemos que ele tem sempre a casa cheia de amigos... vemos até o Brian Eno a chegar de bicicleta pelo meio do bosque:)
As colaborações vão de velhos amigos como Brian Eno- himself, Phil Manzanera e Annie Whitehead, alguns amigos mais recentes como Paul Weller, Karen Mantler e Mônica Vasconcelos, apenas para citar alguns...
Álbum multicultural e multiracial, que parece ter sido gravado todo junto, à lareira, com os verdadeiros amigos... às vezes há desespero, acreditamos que é Robert Wyatt sozinho antes de adormecer:) Belo.

Clubbing:
Próximo sábado dia 1 do mês das listas- já cá estamos:( na casa da música uma das programações mais interessantes que tenho visto por aí, just can`t miss!
Pop com a Japonesa Asobi Seksu, electro com Superdiscount, Disco com el gran mestre Daniel Wang e a curiosidade com Jeremy Greenspan dos Junior Boys, oh me, oh my!! Nuts!!

Asobi Seksu- Thursday (2 Days rmx) (ZShare)

See u there,
JP

segunda-feira, novembro 19, 2007

Is Love Simple?

AKRON/FAMILY- LOVE IS SIMPLE (Young God; 2007)
É a outra banda de Michael Gira, ou a segunda para aqueles que consideram os "Angels of Light" a primeira.
Como o que interessa é a música, o pódio é irrelevante... Importante- a celebração!
Celebração da vida, do amor e da natureza! Há ainda forças externas, para os que acreditam, para estes a dor é menor.

RICHARD HAWLEY- LADY`S BRIDGE (Mute, 2007)
"Coles Corner" era nocturno, sombrio, denso e bom!
"Lady`s Bridge" é solarengo, colorido, leve e bom!
Independentemente do que este álbum nos possa fazer sentir, terá sempre cor associada, alguma coisa que nos puxa para cima, um leve empurrão, à boa maneira de um enorme crooner!
Espírito natalício e de partilha...

Up we go:

SUFJAN STEVENS- TO BE ALONE WITH YOU (PocketKnife rmx) (ZShare)

JP

domingo, novembro 18, 2007

Fresh...

Para ouvir barbaridades, mexer as ancas e meditar...

PROZAC PODCAST 17/11/2007

JP & Tozé

quinta-feira, novembro 08, 2007

Dreams Don`t Always Come When You Fall Asleep...

WEEN- LA CUCARACHA (Schnitzel/ Rounder; 2007)
Nono álbum de uma banda ultra- talentosa que faz qualquer música, qualquer mood, em qualquer estilo, renovando- se constantemente. Whatever they want! Eles dizem "she's gonna be my cock professor, studying my dick, she's gonna get a master degree fucking with me... i could do so many many things with my own bare hands", cantam "you're just an object to me" como toda a dor do mundo coubesse ali, acreditamos que, de facto, esse objecto é a coisa mais importante para eles e nesse momento para nós, quase choramos...:)
Tudo isto e mais, metido nos ritmos mais imprevisíveis. Nada do que dizem ou fazem parece sério, mas de facto é!
Tao serio que precisamos deles para brincar:)
Spirit walker!

Banda de Mark E. Smith (the Fall, oh yeah!) e Mouse on Mars, este é para mim o highlight do seu único álbum, magistralmente reeditado por Pilooski:

VON SÜDENFED- THE RHINOHEAD (Pilooski edit) (ZShare)

JP

sexta-feira, novembro 02, 2007

I`m Just Trying Catch Up With You...

MOBIUS BAND- HEAVEN (Misra Records, 2007)
Indie- pop! Termo tantas vezes usado num contexto pejorativo, como quem diz "é bonitinho". Como eu gosto de música bonitinha, para cantarolar em dias de sol, adorei "the loving sounds of static" o trabalho anterior desta banda. Dizem os amigos que a banda não tem tido vida fácil desde então... longo tempo na estrada, arruinou muito das suas vidas pessoais, tornando os elementos instáveis emocionalmente. Esta instabilidade foi usada de forma constructiva na criação de novas canções, pop, que precisam de algumas audições para captar os detalhes. Temos tempo para isso, vale a pena!

Teenagers de Londres, mais que criadores de canções, tornaram- se remisturadores exímios, usando as suas próprias linhas de baixo! Esta é uma das minhas favoritas, muito do mérito vem também do original:

VAN SHE- SEX CITY (Teenagers rmx) (ZShare)

JP

sábado, outubro 27, 2007

Quentinho...

PROZAC PODCAST 27/10/2007 (ZShare)

It`s the Beat;)

enjoy...

PS- Há 20 seg. de silêncio no início, essenciais para a nossa concentração!LOL! A mesa de mistura não gosta das nossas gadanhas:)

JP & Tozé

segunda-feira, outubro 22, 2007

Reverse is the new Forward

THURSTON MOORE- TREES OUTSIDE THE ACADEMY (Ecstatic Peace, 2007)
Thurston Moore é grande!
Neste álbum está patente todo o seu potencial para escrever canções, belas, dramáticas e emocionantes, tendo como apoio uma guitarra acústica e baixo. Gravado no estúdio de J. Mascis Jr. que se empresta nalguns solos. Há adornos, sempre no ponto, com ajuda de Steve Shelly dos próprios Sonic Youth e a violinista Samara Lubelski. Também Andrew Macgregor, John Moloney dos Sunburned Hand of the Man e o noise rocker Leslie Keffer participam em Trees Outside the Academy. Moore já não fazia um álbum a solo desde 1995, mas segue a máxima: "A fazer, faz bem".

IRON & WINE- THE SHEPHERD`S DOG (Sub Pop, 2007)
Sub Pop, sobre a pop até sun pop... álbum uptempo, harmonioso, groovy e melódico, fazendo lembrar a espaços os grandes irmãos Pernice!
Talvez após a colaborção com os Calexico; Sam Beam (raio de sol:) aka Iron & Wine, percebeu que pode haver grandes canções, não necessariamente apenas com o esqueleto... os músculos ficam- lhe bem e a roupa- stylish mo fo:\

DEVENDRA BANHART- SMOKEY ROLLS THUNDER CANYON (XL, 2007)
Let it roll baby roll like a thunder, down the canyon... sim, ele descobriu Jim Morrison?, sem piedadade, sem complexos ou pretensiosismo de mostrar algo obscuro. Ah, está lá Bryan Ferry sim o tremer da voz é dele, Roxy dos primórdios bem estudado! Folk free?, das montanhas, álbum longo- bela caminhada nos picos e vales, grandes músicas ajudam nas subidas;)

BAND OF HORSES- CEASE TO BEGIN (Sub Pop, 2007)
2º álbum da Sub Pop neste post, 4º álbum pop neste post!
Gravado na Carolina do Sul, onde há sol que ajudou a tirar o casaco da manhã (sim, descolaram dos My Morning Jacket:). Que bom, a música da Band of Horses é inocente, quase infantil, beleza bruta banhada em alegria arrepiante- sentimento estranho, como estar alegremente triste. É, nunca estamos tristemente alegres, contudo o inverso é possível, basta ouvir os cavalos...


Se não conhecem experiemntem, são tão bons...

Esta sexta temos Who Made Who no Indústria, 2ª feira temos Sea & Cake no Mercedes, 6ª próxima Fujiya & Miyagi em Sta Maria da Feira, com DJ Zebra nos pratos, ainda no âmbito do International Film Festival de Sta Maria da Feira (www.fest.pt) há no sábado DJ sets dos Ladytron e SebastiAn... fogo estive 8 dias em Barcelona e não se passou metade! Queixamo- nos de quê?
Sem net seria impossível, assim como Avey Tare, gravar um álbum ao contrário, para depois os cogumelos da net (nós!) o virarem e zás, as melodias são lindas! Fogo, genial? Depois falamos... Algum tempo... maybe;)

Calma...

A minha música de dança favorita de 07, com tratamento para as 5 da manhã!
JUSTICE- PHANTOM 2 (Soulwax rmx) (ZShare)

Asa Breed é grande, Matthew Dear é luminoso, agora a visão Hot Chip sem recorrer a Don Cherry:)
MATTHEW DEAR- DON & CHERRY (Hot Chip rmx) (ZShare)

Uma das melhores músicas rock, all- time!
DEVENDRA BANHART- SEAHORSE (ZShare) no álbum supracitado:)

Beijos & Abraços
JP

terça-feira, outubro 09, 2007

Late Night Tales... Not Too Late

JOSH ROUSE- COUNTRY MOUSE, CITY HOUSE (Nettwerk, 2007)
Espanha faz- lhe bem, sem dúvida. Há calor, erotismo e leveza nas suas canções e já lá vão 7 álbuns! A chama não se apaga, não esquece o Jazz, soft- rock e a bossa nova. Não lhe podemos chamar "bom gosto" isso é subjectivo, é apenas gosto, o gosto dele, que eu chamo "bom" porque me identifico, de algum modo faz- me bem:)


YEAH YEAH YEAHS- IS IS (EP) (Interscope, 2007)
Os YYY gostam de EPs. Ainda bem, concentram tudo de bom de uma só vez, sem quebras. Apenas sumo electrizante e directo no eixo cabeça- ancas! Muito importante:)




Pessoalmente não era de todo fã dos Digitalism, talvez isso mude, from now on, adoro esta remistura para o man dos Depeche Mode. Bato mal mesmo!

DAVE GAHAN- KINGDOM (Digitalism rmx)

JP*

sexta-feira, outubro 05, 2007

Not So Silent This Time...

JENS LEKMAN- NIGHT FALLS OVER KORTEDALA (Secretly Canadian, 2007)
Jens Lekman é um veterano de 23 anos, que atinge a plenitude neste álbum. O corte e costura ao mais alto nível, a sensação de que se pode criar tudo de novo com samples antigos(remember Avalanches)e dar um brilho novo aos nossos dias, é pop, de Scott Walker a Studio. Brilhantismo Sueco.



Estou a ouvir "Late Night Tales" de Lindstrom que é uma mixtape absolutamente incrível, perfeita mesmo! Arranjem- na anyhow!

Beleza musical:
CARIBOU- MELODY DAY (Four Tet rmx)(zshare)

JP

sexta-feira, setembro 28, 2007

Ainda o Mar;)

MARITIME- HERESY AND THE HOTEL CHOIR (Flameshovel, 2007)
3º álbum de originais para os Maritime. Houve troca de baixista Eric Axelson (também ex- membro dos Dismemberment Plan, tal como Travis Morrison) saiu, rodaram inúmeros elementos, tudo entre amigos, vejam só: Mike Kinsella (Joan of Arc, Owen), Matt Clark (Pinebender, Bella Lea), Mike Feurstack (Wooden Stars, Snailhouse), Slash (GnR, I’m lying). Até o baterista dos Arcade Fire, Jeremy Gara, tocou teclas.
Naturalmente as energias mudaram...
O anterior We, the Vehicles é um dos meus discos pop favoritos. Neste há mais power, mais ruido, mas as melodias e refrões "orelhudos" continuam presentes e bons, como sempre;)

KEVIN DREW- SPIRIT IF... (Arts & Crafts, 2007)
Kevin Drew é o "boss" e mentor dos Broken Social Scene (BSS), neste álbum a solo convida J. Mascis dos Dinosaur Jr., Spiral Stairs dos Pavement e inúmeros elementos dos BSS.
O som é facilmente relacionável com a "bigger band", contudo há espirito minor, mais poupado e portanto mais limpo. Há também uma mão cheia de grandes músicas e isso interessa, é isso que interessa!

Depois:
Uma banda que tentou copiar os Young Marble Giants... os primeiros singles geraram algum entusiasmo em mim, rapidamente dissipado assim que ouvi o LP.
Esta é, para mim, o seu melhor tema, melhor ainda com remistura Optimo from Glasgow, muy potent muthafuckin` Espacio DJ`s ;)

Prinzhorn Dance School- You Are The Space Invader (Optimo rmx)

JP

domingo, setembro 23, 2007

Return of the New

TRAVIS MORRISON HELLFIGHTERS- ALL Y`ALL (Barsuk, 2007)
O ex Dismemberment Plan Travis Morrison continua a fazer boa música, música para a crítica bater. Ok, não são os Dismemberment Plan, é apenas o homem, é diferente não necessariamente pior!
A aproximação neste All Y`all é muito mais rítmica que em Travistan, ouvem- se congas, instrumentos de sopro, orgão, cordas, mantendo- se a simplicidade melódica!
Agradável confirmação...

A PLACE TO BURY STRANGERS- A PLACE TO BURY STRANGERS (Killer Pimp, 2007)
Banda de Brooklyn, que conhece bem Jesus & Mary Chain, Joy Division, Dinosaur Jr. e My Bloody Valentine, o som é escuro, imundo, suado, barulhento, pouco definido mas sentido e emocionante, sim! De olhos fechados, droning puro!

Tomem lá para a cabeça!

DARDANELLES- OF COURSE YOU SAID (Riot In Belgium rmx)

JP

sexta-feira, setembro 14, 2007

Lisergic Moods

ANIMAL COLLECTIVE- STRAWBERRY JAM (Domino, 2007)
Ainda este ano Panda Bear (aka Noah Lennox) editou Person Pitch, um álbum de loops e samples com Panda a cantar por cima qual Briam Wilson alucinado:)
Se um cérebro fez aquilo, imagine- se a compota que sai quando Avey Tare (aka Dave Potner), o processador de som Geologist (aka Brian Weitz) e o guitarrista Deakin (aka Josh Dibb) se juntam, para criar camadas de som hipnóticas, refrões complexos e melodias improváveis atendendo à base musical... Uma experiÊncia ímpar, das melhores deste colectivo animal e talvez com maior projecção na Domino!

CARIBOU- ANDORRA (Merge, 2007)
Mais uma editora incontornável e um disco de rebentar a cabeça da malta, a fórmula de Dan Snaith começa a tornar- se inconfundível, não desligando de Aphex Twin, Caribou tem o Drum n`Bass demasiado subtil para o assumir, tem arranjos magníficos como os Animal Collective e tem a dose certa de psicadelismo roubado à pop! Drogas para quê?

THE NEW PORNOGRAPHERS- CHALLENGERS (Matador, 2007)
Aqui os ícones Neko Case e Carl Newman, assumem uma postura mais tranquila, moderada e polida, há menos festa e espalhafato- isto era bom, mas como eles fazem quase tudo bom não há stress em acalmar um bocada. As músicas são lindas e de vez em quando temos direito à festa, nem que seja a nossa:)

LIARS- LIARS (Mute, 2007)
Poucos conseguem fazer bom noise, agora fazê- lo com estilo, ritmo e melodia, no activo só estou mesmo a ver os Liars e os Deerhunter. Este álbum é uma obra- prima de rock maluco, que vai batendo devagarinho e com insistência, quando o descobrimos não dá para largar! Really!

GITHEAD- ART POP (Swim~, 2007)
Basta ter Colin Newman dos Wire para chamar a nossa atenção, juntamos Robin Rimbaud e Malka Spiegel da Minimal Compact para full power! Agora, há uma mudança na sonoridade desta banda, o tom dramático e monótono é deixado para maior concentração nas melodias e nos arranjos, há linhas de baixo dançáveis acompanhadas de sintetizadores, as letras... nós, humanos não percebemos:)

Há muito mais música à espera, vou mandá- la quando houver oportunidade- cada vez menos. A audição pode ser feita nos podcasts (possíveis) as usual:)

Um brinde que adoro! Ouvi no MQ3 que agora tá num horário muito maluco... Changes are changes, not always good...

Sebastien Grainger & Les Montaignes. Are There Ways to Come Home

JP*

domingo, setembro 09, 2007

quinta-feira, setembro 06, 2007

West Coast

PINBACK- AUTUMN OF THE SERAPHS (Touch & Go, 2007)
Há leveza pop nos Pinback, a mesma que encontramos nos French Kicks. No entanto conseguimos quase adivinhar a terra natal dos pinback, o som californiano, mais acentuado neste álbum, faz- nos a espaços lembrar os Incubus- se não tirassem a t- shirt para as girls e tivessem ouvido mais música indie, mas as melodias ondulantes estão lá!!
É também o álbum mais melódico, uptempo, com mais batidas e riffs rápidos sempre com groove e boa onda. Sabe bem ainda agora, em pleno verão:)

Adoro este tema, dá- me pica, i guess...

Pinback- From Nothing to Nowhere (ZShare)

JP

sábado, setembro 01, 2007

Prozac Podcast

Férias, mesmo que a trabalhar parece que há uma preguiça inerente a Agosto, ainda que não tenha afectado o consumo de música, afectou a escrita, a falta de net à semana ajudou.
Regresso aos programas e à organização por pastas, datas e nomes... ainda há sol;)

Podcast no fim do texto e muitas novidades a desenvolver à frente. Agora 2 destaques apaixonantes:

SHY CHILD- NOISE WON`T STOP (Wall of Sound, 2007)
Quando vemos um gajo com orgão no lugar da guitarra (keytar) aos pulos achamos que é lorpa, quando ouvimos os Shy Child a fazer música com isto e bateria, achamos Pete Cafarella o man mais cool à face da terra!
É essencialmente electro- punk, como Young Marble Giants no séc. XXI, máquinas, mais complexo do que parece, não é directo na pista, mas quando bate...oh my!!
Paul Epworth aka Phones produz, retro- futurista, fica bem..lololol

SUPER FURRY ANIMALS- HEY VENUS! (Rough Trade, 2007)
Sabemos que os Super Furry Animals fazem pop de sonho, aparentemente simples.
Com álbum de originais de Gruff Rhys- inspiradíssimo, poderíamos pensar que os SFA estavam em crise criativa, nada mais errado!
São inacreditáveis as melodias aqui criadas- orgão, banjo, guitarra, coros, sininhos, trompetes, pandeiretas e voz docemente arrepiante de Gruff Rhys... É um clássico pop em 2007, é obrigatório... vamos sonhar, não precisamos de dormir;

PROZAC PODCAST 01/09/2007

Have fun...

JP & Tozé

sexta-feira, agosto 24, 2007

Britt Daniel (Spoon)- Lines in the Suite

Esta semana estive sem pc, daí isto ter andado paradote...

Briit Daniel é para mim um génio pop, assim no top 3;), já o disse várias vezes... a minha paixão pela sua música aumentou ainda mais depois de o ver ao vivo, a humildade, sobriedade e simplicidade são mais que suficientes para tocar profundamente nas nossas emoções. Longe do spotlight ele vai continuar a fazer música que nos faz sentir vivos e dar-nos sensações que nem conseguimos racionalizar, sabemos que às vezes não podemos ouvir mais, só assim podemos acalmar este ataque de pânico...
Quando morrer, velhinho, alguém há- de lembrar- se que ele fazia musica assim, da mais pura, intemporal e bela...

JP

segunda-feira, agosto 20, 2007

Too Hot To Stop...

MIDNIGHT JUGGERNAUTS- DYSTOPIA (Siberia, 2007)
Imaginamos a festa dos Daft Punk, revividos hoje e sugados até à medula, mas neste caso há memória e gosto suficientes para ir buscar Giorgio Moroder e David Bowie, em estilo dramático e pós- punk. Descrevendo assim parece difícil conceber, ouvindo é fácil:)
Uma banda electrizante, cheia de ideias e a ter em atenção também nas pistas de dança!

Midnight Juggernauts- Into the Galaxy (ZShare)

+ musicol brevemente...

* JP

sexta-feira, agosto 17, 2007

Walls` 07

Mais uma edição do festival paredes de coura, mais 3 dias de puro gozo, amizade e partilha de experiências que a chuva não estragou, isso é o verdadeiro festival, o resto são catalizadores! Bons catalizadores- Spoon sou doido por esta banda, tocaram em 45 min alguns dos seus temas mais crús e emblemáticos, certeiros e simpáticos, sem arranjos dos álbuns, em quarteto, para mim o melhor concerto do festival, perfeito às 6 da tarde, pude vê- los na 1ª fila;)
Gogol Bordelo tal como em Sines, animalesco no bom sentido!
Peter, Bjorn & John, mais musculados que em álbum resultou muito bem live, o pessoal cantou e assobiou:)
Electrelane, suor e entrega total das girls num dos concertos mais intensos do festival!
Sonic Youth, mais pop que em aparições anteriores, o povo gostou muito, máquinas sónicas irrepreensíveis, mais noise nos encores- fica- lhes bem...

Assuntos para escrever para a ritmos:

After-hours: pouco divulgados, mal tratados, como se fosse um local para o bêbados e drogados irem curar a moca... Insistência electro nas 3 noites é demais, há alturas que nem se conseguia dormir, gostos à parte, o ambiente era na globalidade mau e os DJ`s são filhos do Justice, que parecem não saber que ele vai beber a raízes Disco e Funk para criar novos sons...

Ambiente: Não há eco- pontos no recinto, o vidro não é separado e há muitas pessoas com falta de civismo que nem se preocupam em meter o lixo em sacos, para facilitar a recolha.
Outro exemplo, o patrocinador podia vender uma caneca que as pessoas reutilizassem para beber cerveja, com o incentivo de esta ser mais barata, desta forma poderíamos poupar toneladas de plástico!
A energia do festival devia ser obtida, pelo menos em parte, de fontes renováveis.

Se for aliciante, para o ano há mais...

JP

sexta-feira, agosto 03, 2007

Pónei Clube

NEW YOUNG PONY CLUB- FANTASTIC PLAYROOM (Modular, 2007)
Tentamos ouvir a música de espírito aberto, mas por vezes já estamos formatados inconscientemente, uma vontade primária de afirmação e marcação de posição (território), depois tentamos disfarçar tudo com a nossa razão... Uma coisa boa que o nosso cérebro permite é aprender com os erros. Não vale a pena chatices por causa de nada, muito menos de música, quando na maioria dos casos estamos errados! A vida é demasiado curta, não nos podemos dar ao luxo de desperdiçar amizades.

Errei redondamente nos NY Pony Cub, adorava the get go há 2 anos no MQ3- linha de baixo e sensualidade pop, depois veio o hype e 100 remixes e claro a estupidez!
Pois agora acho que o álbum é do caraças, vai beber a Slits ou ESG, para criar new wave séc XXI, tem beats, baixo groovy, erotismo e pop!
Basta ouvir, pois na maioria dos casos falamos demais:)
Eh pá, esres também vão a paredes e aqui têm o horário dos concertos!!

Agora sim, boas férias!

New Young Pony Club- Hiding On The Staircase

New Young Pony Club- Talking Talking

JP

quinta-feira, agosto 02, 2007

Instituto Politécnico

Criamos padrões, às vezes vamos para buracos ouvir música que não gostamos, levar com cerveja e tabaco em busca sabe-se lá de quê...alienação? Isso podemos fazer sem sair de casa, Noutras hipóteses, aquilo que álguém decidiu chamar música do mundo, como se a outra não o fosse, é a opção certa quando nos queremos divertir, ouvir boa música, excelentes músicos e dançar... movimentar todo o corpo, com espaço, numa linguagem, por vezes inocente, outras sensual e sedutora, obedecendo apenas aos comandos primários do nosso cérebro,
Recentemente Sines- Gogol Bordello foi incrível, podemos reconfirmar em Paredes de Coura, mas na praia com o sol a nascer é tudo sublime! Em S. Pedro do Sul no andanças ninguém fica parado, mesmo os mais resistentes entram nas rodas. Eu não sou grande dançarino, mas já me ensinaram uns toques e hoje vou lá voltar. Há que quebrar pré- conceitos, todos ganhamos!
Diamond dancer:)

Música do mundo...

POLYTECHNIC- DAWN TIL DAWN (Shatterproof, 2007)
Um dos álbuns mais enérgicos que tenho ouvido, poder indie, como Pavement no início, hoje podemos pensar em Clap your Hands Say Yeah! e para nós X- Wife, mas a emoção que Dylan Giles põe nas melodias toca-nos muito, logo desde a 1ª audição, depois tudo é adornado por linhas de baixo, orgão e tacadas certeiras na bateria. Incrível!

Polytechnic- bible stories

Polytechnic- cold heated business

DINOSAUR JR.- BEYOND (Play It Again Sam, 2007)
Com Sonic Youth, vamos poder ver 2 gigantes do rock alternativo, falta Neil Young! Joe Mascis Jr. também tem os tiques, mas os solos e as camadas de guitarra são únicos, este é o 9º álbum da banda, entre os melhores e com o baixista original- Low Barlow. Grande!


Dinosaur Jr.- almost ready


Agora sim, vemo- nos em Paredes! Boas férias:)

JP

terça-feira, julho 24, 2007

Noites de Budapeste

QUEENS OF THE STONE AGE- ERA VULGARIS (Interscope, 2007)
Josh Homme está lesionado num joelho (direito se bem me lembro...), era notório já em Paredes de Coura no ano passado, agora vai ser submetido a nova cirurgia, contudo isso não o impede de continuar a fazer música enérgica e ultra- potente! Sim, pode notar-se um pouco a falta de participações externas, que quase sempre se traduziam em mais- valias, ainda assim continua a ser um bom álbum para estes mestres da arte de rockar forte, neste álbum há malhas bem pesadas, que alternam a espaços com o lado + soft de Josh Homme. Bem fixe!

Em baixo, um dos melhores riifs que tenho ouvido, bate com muita força após algumas audições! Aviso, bate mesmo!


ART BRUT- IT`S A BIT COMPLICATED (Downtown, 2007)
Sem dúvida uma das bandasmais divertidas que anda por aí, chegam inclusivamente a gozar com eles próprios e claro o vocalista Eddie Argos é grande garanhão e deus do desejo sexual. Atenção- não deixa nenhuma rapariga dormir:) e claro quem andar com ele nunca vai engordar... Outro tema recorrente é a música quer em formato 7" ou mixtape de mp3. Basta estarmos atentos e temos paródia pela certa.
A música continua boa, agora com mais uns arranjos e coros que quebram a monotonia.
Excelente retorno!


Alinhamento do último programa, temas de 07 e algumas amostras dos destaques:

1.Muscles- One Inch Badge Pin (Bag Raiders rmx)
2.Sonic Youth- do you believe in rapture, babe? (Cousin Cole rmx)
3.Dntel- The Distance (Metronomy rmx)
4.QOTSA- turnin` on the ScreW
5.Art Brut- Pump Up the Volume
6.Art Brut- Direct Hit
7.Map of Africa- Dirty Lovin
8.Map of Africa- Western Love
9.Spoon- Don`t Make Me A Target
10.Spoon- My Little Japanese Cigarette Case
11.Interpol- Pioneer to the Falls
12.Justice- Phantom II (Para mim uma das melhores faixas Disco all- time!)

Vamos parar de fazer o programa durante 1 mês, mas o blogue irá funcionar sempre que houver impulso e tempo!

+

New Young Pony Club e Peter, Bjorn & John, confirmados para Paredes, achamos alguma piada aos NY Pony Club, mas adoramos Peter, Bjorn & John...
Pena que na noite a tendência seja novamente electro- indie- blogueira (Simian Mobile Disco, Crystal Castles, Guns n`Bombs, Boys Noize, etc) não tem mal convidar esta malta, mas todas as noites não se aguenta, ok apenas se as girls gostarem:).
Há grandes alternativas noutras áreas de música que também dão para muita gente, lembro-me de repende- Rub N`Tug, Prins Thomas, Todd Terje, Dj Harvey, Mock & Toof, Maurice Fulton e mesmo Erol Alkan- óptimos, perfeitos, com história, conhecimentos, suor e amor profundo à música! Falta isso, falta... De resto os meu parabéns à organização, que não se feche e procure alternativas de divulgação, mesmo dentro deste país!
Muita curiosidade ainda para Slimmy.


JP

sexta-feira, julho 20, 2007

Into the Woods

BLITZEN TRAPPER- WILD MOUNTAIN NATION (Lidkercow Ltd, 2007)
O que é ser livre?
Os Blitzen Trapper tentam, pelo menos, ser livres criativamente o "Do It Yourself", levado à letra, até na distribuição do álbum. Claro que isto ajuda a um pequeno culto, mas não é tudo. Na verdade, esta banda "indie" fá-lo sentir-se independente de novo, pegando na country, rock, pop e noise, dos White Stripes aos Pavement passando por Belle & Sebastian, limpam tudo com gozo de quem pode fazer o que lhe apetece!
Citei referências, mas o vocalista Eric Earley nem tem discos, nem vai a lojas de música, nem sequer presta atenção a música! Talvez este seja o segredo!
Nós que estamos presos a tanta coisa, inclusivamente à música, agradecemos a sua independência!

La musique:

Blitzen Trapper- Wild Mountain Nation

Blitzen trapper- Sci- Fi Kid



JP

quarta-feira, julho 18, 2007

Better With A Spoonful of Spoon

SPOON- GA GA GA GA GA (Merge,2007)
2007 está recheado de grandes álbuns, não de estreantes mas de pilares em constante renovação.
Os Spoon fazem mais um álbum emocionante, pop não pop que cresce com várias audições e pormenores de produção de retirar a respiração, quando nos concentramos parece tudo tão simples, Ga Ga Ga Ga Ga, riffs em repetição, guitarra ou piano e Britt Daniel encontra a melodia perfeita, nem que seja apenas com uma frase "don`t make me a target". Sozinhos estamos a delirar, podemos fazê-lo juntos em paredes de coura, transformar delirio em alienação em comunidade...
O site Pitchfork incluiu este álbum na "best new music", mas se pensarmos os Spoon nunca fizeram outra coisa! Este como os outros é absolutamente essencial.

Uma das pérolas:
Spoon- My Little Japanese Cigarette Case

JP

terça-feira, julho 17, 2007

Prozac Podcast

PROZAC PODCAST 14/07/07
(o ficheiro está um pouco maior que o habitual)

Este Sábado foi-nos impossível gravar o programa, e como forma de evitar mais uma repetição de um programa anterior, decidimos gravar uma playlist com uma hora de música sem qualquer comentário.
Sem grandes novidades em relação a programas anteriores, saliento apenas algum destaque dado a álbuns que sairam há algum tempo, e que ainda não tinham sido "rodados" no Prozac, como é o caso de Era Vulgaris dos Queens of the Stone Age e de Beyond dos Dinossaur Jr.

Tracklist:
1.Feist-"Sealion"(Chromeo remix)
2.Justice-"Genesis"
3.Queens of the stone Age-"Into the Hollow"
4.Dinossaur Jr.-"We're not alone"
5.Dinossaur Jr.-"Back yo your heart"
6.Sonic Youth-"Reena"
7.Electrelane-"Saturday"
8.the National- "mistaken for strangers"
9.the National-"slow show"
10.Califone-"3 legged animals"
11.Bright eyes-"Hot knives"
12.Black Rebel Motorcycle Club-"Window"
13.Mando Diao-" the wildfire"
14.the Rakes-"the world was a mess but his hair was perfect"

sexta-feira, julho 13, 2007

How Are things On The West Coast?

INTERPOL- OUR LOVE TO ADMIRE (Capitol, 2007)
Temos desejos que por vezes alcançamos, encantamo- nos, usufruímos e cansamo- nos, até procurarmos um novo objecto de desejo. É sempre assim, a menos que haja amor para admirar, contemplar e alimentar o desejo...
Novo álbum de Interpol, o mais sombrio de todos, mais difícil (apesar de terem assinado por uma major) e sujeito a julgamentos precipitados, no entanto quando a devida atenção é prestada, torna-se num dos álbuns mais viciantes, uma obra- prima urbano- depressiva que devido à sua densidade emocional deixa qualquer tentativa de imitação a anos- luz!
Há também novos arranjos e instrumentos, mas o som de Interpol mantém-se, mais negro...

Pelo contrário, esta acelera a nossa química...

Interpol- Rest my Chemistry

Post escrito a ouvir Ga Ga Ga Ga Ga dos Spoon, que confirmam Britt Daniel como génio pop contemporâneo, ainda aumenta + a espectativa para paredes...

JP

quarta-feira, julho 11, 2007

On the Beach

WILCO- SKY BLUE SKY (Nonesuch, 2007)
Céu azul, basta olhar e subitamente sentimos paz e acalmia, o mesmo que olhar para o mar, pois este se calhar este é o reflexo do primeiro... "Sky Blue Sky" em música transmite as mesmas sensações. Mais, um sufoco constante, o grito mudo da beleza deprimente, ataques de ansiedade que não nos deixam dormir, queremos apenas ouvir o álbum novamente, sentir a guitarra a chorar, o regresso ao soft- rock de 70 e Neil Young em espírito.
Sou fã incondicional dos Wilco, tudo o que fizeram é, para mim, magnífico, não posso de maneira alguma dizer que este é melhor ou pior que os outros, sei que estes músicos de outra galáxia não fazem nada menos que perfeito... as ondas passam,nós entramos, curtimos festivais, os Wilco ficam, no fim do dia, no fim do verão, quando só esperamos por mais um dia de céu azul...

Post escrito a ouvir "On the Beach" de Neil Young, tornou-se rapidamente num dos álbuns da minha vida, próxima compra é "Harvest"...

Aqui fica uma peça que abre o apetite para o que se pode ouvir em "Sky Blue Sky"

WILCO- IMPOSSIBLE GERMANY


JP

quarta-feira, julho 04, 2007

Brand New Oldies #8

Antes de mais,
This is good news- Dinosaur Jr em Paredes de Coura

Deixei acumular demasiados...







TALKING HEADS- FEAR OF MUSIC (1979) e REMAIN IN LIGHT (1980) (Sire)
A dar passos de gigante no que diz respeito à minha colecção de Talking Heads em direcção a 1985, sem ordem cronológica, até agora tudo maravilhoso, de rebentar a cabeça e de me fazer temer o fim desta fonte...
Fear of Music abre em africanismo- "i zimbra", a minha paixão por este continente a aumentar a cada dia, apenas pela música e passagens de livros. O álbum é sério, musicalmente complexo e nem sempre melódico, "heaven" é um sitio onde nada acontece, é também o tema mais melódico, desta bela experiência.
Remain in Light permanece na luz de Fear of Music sem medo de explorar ainda mais os ritmos exótico e criar groove hipnótico que desejamos não ter fim... "Once in a Lifetime" aqui soa a hit:)

ROXY MUSIC- STRANDED (Virgin, 1973)
Também em frente com Roxy, aqui já sem Brian Eno, menos experimental, mas cheio de ousadia com Ferry no leme...

SLY & THE FAMILY STONE- LIFE
e DANCE TO THE MUSIC (Epic/Legacy, 1968)
Álbuns editados com poucos meses de diferença, em que "Life" o 2º nesse ano é mais psicadélico e com mais guitarra, mantendo a orientação funk altamente dançável...Obras essenciais aproveitando saldos da Flur.

THE POP GROUP- Y (Rhino, 1980)
Não há nada "pop" neste grupo, há funk, pós- punk e cacofonia pura, encontramos a pop lá ao fundo, após várias audições e que bem que sabe!

PATRICK COWLEY- MEGATRON MAN (Unidisc, 1981)
Sintetizadores com força, vozes processadas e algumas grandes canções como "Megatron Man" e "Sea Hunt", outras demasiado açucaradas para mim:(

CAT POWER- YOU ARE FREE (Matador, 2003)
Mais recente mas veio junto com alguns dos anteriores:)
Liberdade e paz, o que Chan Marshall transmite neste disco, pena que na maioria dos casos fique apenas pelo disco...

CREEDENCE CLEARWATER REVIVAL- WILLY AND THE POOR BOYS
(Fantasy, 1969)
Rockabilly, pop, R & B e country, a seguir a "Green River" e antes no tempo, menos eléctrico, back to roots, para outros seguirem em frente. Claro as canções continuam óptimas e Elmore James iria chorar a ouvi-las...

NEIL YOUNG- ON THE BEACH (Reprise, 1974)
Jim O`Rourke e Jeff Tweedy dos Wilco, conhecem bem a biblia que é Neil Young, o primeiro considera este álbum um dos mais influentes na sua vida, é rude, pouco produzido, belo. É belo.

STEVIE WONDER- TALKING BOOK (Motown, 1972)
Stevie Wonder nunca viu o sol, isso aguçou-lhe os outros sentidos, particularmente a audição e a criatividade para criar música intensa que pode por momentos substituir esse sol. Um álbum de canções de amor, curiosamente o seu maior hit é a malha "superstition"!

DAVID BOWIE- ZIGGY STARDUST (Virgin, 1972)
Ziggy Stardust é uma estrela rock alienígena, o álbum é paranoide, alguém está a preparar o apocalipse... Musicalmente é um álbum pop perfeito, dos mais arrepiantes que há memória.

CURTIS MAYFIELD- CURTIS
(Rhino, 1970)
Nunca atingiu o estrelato dos artistas da Motown, no entanto o ex- the Impressions, deixou um legado irrepreensível. Produzido magistrozamente pelo próprio Curtis, este é um clássico Soul absoluto, com sentido social e político:)

ARPADYS- ARPADYS (Sirocco, 1977)
Disco baleárico, psicadélico e progressivo;) produzido em França. Não fosse o interesse esporádico pelo reggae este álbum seria perfeito (para mim)!

JP

segunda-feira, julho 02, 2007

Prozac Podcast

PROZAC PODCAST 30/06/07
(Há alguns problemas de som no início e no fim da gravação)

Programa que serviu essencialmente para eu e o Tozé nos divertirmos à grande, fazer umas valentes séries de flexões e abdominais, ao som do nosso ginásio:) Esperemos que se divirtam também...
Pequenos destaques a Justice, Teenagers e Maccabees, sem grandes comentários, have fun and relax, put the stress behind your back;)

Tracklist:
1.Justice- "the party"
2.Justice- "valentine"
3.Simian Mobile Disco- "the beat" (teenagers rmx)
4.lo- fi- fnk- "the city" (teenagers rmx)
5.Muscles- "one inch badge pin" (bag raiders rmx)
6.Midnight Juggernauts- "road to recovery"
7.the Shins- "sleeping lessons" (RAC rmx)
8.the Little Ones- "lovers who uncover"
9.Maccabees- "x- ray"
10.Maccabees- "first love"
11.Kano- "she`s a star"
12.LCD soundsystem- "all my friends" (freak out/starry eyes rmx)

JP & Tozé

quinta-feira, junho 28, 2007

Knight Rider

Justice- Cross (Ed Banger, 2007)
Era céptico relativamente ao trabalho do Justice, não gostava de alguns singles isoladamente, gostei de o ver live, é um DJ inacreditável, mas fartei-me ao fim de 1 hora... é natural que tenha mudado entretanto, mas ainda bem que chegou o álbum, uma lufada de ar fresco na música de dança (para muita gente) actual, electrizante, groovy, com alternâncias de ritmo, linhas de baixo de ir à lua, vozes no sítio certo. Faz sentido como um todo, algumas faixas estão interligadas e a audição é na maioria das vezes aprazível e tranquila, o pé bate instantâneamente e o cérebro multiplica as conexões... Incrível!
Também com álbuns de Simian Mobile Disco e Digitalism por aí, estes senhores tendem a tornar-se campeões de vendas e ícones do nosso tempo, ou pelo menos da noite;)

Esta é uma das minhas faixas electro favoritas, a par de seven deadly strokes de Claude VonStroke, da qual se aproxima e road to recovery dos magníficos Midnight Juggernauts

Justice- Genesis

JP

segunda-feira, junho 25, 2007

Afrika


Map of Africa- Map of Africa (Whatever We Want, 2007)
O culto à volta desta editora é enorme, os discos caríssimos e algo que nos diz que isto são peça de colecção essenciais, múisca que transcende qualquer coisa à qual queremos pertencer, como se fosse algo especial, o verdadeiro espirito indie que lá no fundo nos faz sentir maiores que os restantes, é disso que se trata... Pessoas misteriosas- DJ Harvey canta e toca bateria, exilou-se nos Estados Unidos, não viaja muito, não pode? Há uma profunda admiração pela sua música e recentemente o que fez com LCD Soundsystem e Lindstrom torna tudo ainda + especial. Thomas Bullock 1/2 Rub N`Tug aqui toca guitarra, piano, efeitos, beats e produz, depois de o ver ao vivo, barbudo, bem disposto, com "sunglasses at night" e espirito de festa consegue-se imaginar o seu lado + sério, a explorar o seu enorme talento. Rock duro, psicadélico, letras alucinadas, um álbum que podia ter sido escrito em qualquer altura num intervalo de 40 anos, é intemporal, é uma peça de colecção, mesmo;)
O vinil é muito caro, mas o CD vai chegar a preço regular (Flur).

JP